A mulher perfeita

Há três décadas, a beleza era um sinônimo de perfeição

Social Media

Anúncio

Quem imaginaria que um filme deixaria mulheres no mundo inteiro com tantos complexos? Isso é o que muitos críticos de cinema perguntaram quando o filme "Mulher Nota 10" estreou em 1979 com Bo Derek. A atriz se tornou o símbolo da mulher perfeita, com rosto de boneca, um corpo incrível e sex appeal irresistível. 

Em oposição à concepção que exacerbava a importância da beleza, surge, quatro décadas depois, outra ideia de como seria a mulher perfeita. Não se fala mais em perfeição, mas em satisfação, em curtir a vida em todos os seus aspectos. Também, a ideia de se ter um corpo perfeito tem sido substituída, aos poucos, pela necessidade de um estilo de vida saudável, que inclua uma dieta balanceada e um plano de exercícios. Não se trata mais sobre ter um visual melhor, mas sobre se sentir bem e ser saudável.

Cinco ideias perfeitas para sentir-se realizada.

Cada vez mais associações e fundações trabalham para estimular as mulheres a serem protagonistas de suas próprias vidas. Com um papel cada vez mais importante no mundo do trabalho, não ficou fácil encontrar um equilíbrio entre trabalho, família, filhos e cuidados pessoais. No entanto, é importante lembrar que ter uma boa saúde física, mental e emocional é essencial para desempenhar todos esses papéis. Para fazer isto:

  1. Faça checkups periódicos. Em 2007, 85,7% das mulheres americanas responderam que haviam realizado um checkup de rotina no ano anterior ou há dois anos. Aos 18 anos, o acompanhamento médico é essencial; aos 20 anos ou quando se iniciam as atividades sexuais, um exame ginecológico; aos 40 anos, um exame de mamas.
  2. Avalie a dieta e tenha um plano alimentar saudável. Nos Estados Unidos, há 64 milhões de mulheres com mais de 20 anos que estão acima do peso e aproximadamente 34 milhões que são obesas, o que representa 25% da população feminina. A obesidade e o sobrepeso foram, por muito tempo, associados meramente à questão estética. Mas, agora, está cientificamente comprovado que uma dieta não saudável e a inatividade física aumentam o risco de doenças cardíacas, câncer, diabetes tipo 2, problemas respiratórios, artrite e osteoartrite. 
  3. Aumente o consumo de frutas e legumes para reduzir os riscos de derrame cerebral, diabetes tipo 2 e certos tipos de câncer. Em 2007, apenas 28,6% das mulheres relataram comer cinco ou mais porções de frutas e vegetais por dia. Certifique-se de ter uma variedade de frutas e vegetais em sua cozinha para que sejam sempre incluídos em suas refeições e lanches.
  4. Se você tiver preocupação com algo, peça ajuda. Cerca de 7% das mulheres nunca receberam apoio emocional ou social. Por sua vez, cerca de 20 a 25% das mulheres nos Estados Unidos sofrem de desordem mental, que pode ser causada por diversos fatores, inclusive condições genéticas, alterações hormonais ou eventos traumáticos. Outros problemas que podem aumentar o estresse são diferentes tipos de abuso social e pobreza. Se tiver uma preocupação importante ou estiver vivendo uma situação de estresse familiar ou pessoal, vá ao centro psiquiátrico mais próximo. Procure uma opção que seja acessível para você a fim de que receba a orientação e o aconselhamento adequado. 
  5. Dedique tempo para si mesma. Embora pareça que não há tempo para mais nada em sua agenda, tente reservar um tempo para você todos os dias. Pode ser sair com um amigo para uma bebida, tomar um banho relaxante ou assistir ao seu programa de TV favorito. Com certeza, você possui muitas responsabilidades diárias e merece ter um tempo só para você: para descansar, relaxar, se divertir e pensar sobre tudo que já conquistou.

As mulheres são essenciais em todas as famílias, cidades e sociedades. Elas são especialistas em cuidar dos outros. Comece, agora, a cuidar de você mesma para que consiga cuidar dos outros.

www.womenshealth.gov. Estatísticas de 2007.

Comments widget here

Anúncio

Anúncio

Twitter

Mi Dieta

Seguir